Este blogue não adoPtou o novo acordo ortográfico.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Zara


Esta semana ficámos sem a nossa Zara, depois de muitos anos de companhia e histórias passadas com ela.

No dia em que morreu, ainda teve forças para caminhar e como que sabendo que a sua hora estava próxima, foi ter com todos os cães da casa, parecendo despedir-se deles.
E quando chegou a hora de morrer, os cães da casa começaram todos a uivar.
Há, na verdade, muita coisa para aprendermos com os animais. Cada vez acho mais absurda dizer que os animais são seres irracionais. Como a minha mãe costuma dizer, há mais mistérios entre o Céu e a Terra do que aquilo que o homem pode imaginar. 

Nós, seres humanos, mostramos muitas vezes, comportamentos e atitudes bem mais irracionais.
Os animais vivem com muito mais equilíbrio no planeta, do que nós, que o estamos a destruir aos poucos.
Sem falar como nos auto-destruímos também.
Por isso que a cada dia aprendo mais com os animais, percebendo que para além do seu instinto, eles têm um tipo de comunicação e expressões de inteligência próprias deles e que apesar de serem diferentes dos humanos, não significa que sejam inexistentes.
E este exemplo que partilho aqui mostra bem isso!
A Zara era a cadela da minha irmã Denise. 
As duas com certeza, já estarão reunidas, porque creio no Deus Criador, que ao redimir o homem, redimiu também toda a criação, que tem vindo a gemer em expectativa e ansiedade, pelo dia em que Ele a restaurará em toda a sua plenitude e beleza!

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Presente não merecido

Nesta época do ano, vivo emoções que em si,  são paradoxais.
Gosto do que esta época representa e celebra.
Tenho recordações maravilhosas da época da infância, desde a azáfama na cozinha, até à expectativa da chegada dos primos, para em família, celebrar o nascimento de Jesus, receber os presentes e toda a alegria à volta deste evento.
Gosto das iluminações, do frio exterior, das canções alusivas ao Natal.
Mas muita coisa há que não gosto.
Especialmente o comércio que se faz à volta do Natal e como cada vez menos, as pessoas pensam na verdadeira razão dele existir.
E pensei nas nossas listas de presentes.
Quem consta das nossas listas de presentes?
Damos presentes aos nossos familiares e amigos próximos, pessoas de quem gostamos e que nos trataram bem; pessoas que foram gentis de alguma maneira connosco.
Outras vezes, retribuímos algo que nos foi gentilmente oferecido.
É fácil dar presentes assim.
Mas seríamos capazes de oferecer um presente a alguém que nos tenham tratado mal? Alguém que nos tenha ofendido? Ou àquele vizinho mal educado que nunca nos cumprimenta? Ou ao colega que foi inconveniente? Talvez ao ladrão que nos roubou a carteira?
Seríamos incapazes de ter tal gesto, certo?

Mas foi isso que Deus fez connosco!
Quando Ele enviou o Seu Filho, enviou-nos o Seu melhor presente! Um presente que não merecíamos!
Porque diz na Palavra que Deus demonstrou o Seu amor por nós, sendo nós seus inimigos!!!
Ele não nos deu tamanho presente porque éramos aceitáveis, amáveis, bons, generosos!
Não!
Ele ofereceu o Seu melhor presente, sendo nós detestáveis, rebeldes, egoístas, sujos na alma e coração, por dentro e por fora!
Esta é a maravilhosa história do Natal: é que apesar do nosso pecado, da nossa deformidade, da nossa incredulidade, Deus enviou Jesus para nos resgatar!
Naquele feia manjedoura de Belém,  Deus deu-nos um presente imerecido!

Quando receberes um presente de alguém que aches que não é merecido, pensa nisto: que Deus amou-te de tal maneira, que deu o Seu único filho, para que crendo Nele, não morras, mas tenhas Vida Eterna!


"Quando nos encontrávamos sem possibilidades de sair da situação de pecadores culpados, Cristo veio, no momento oportuno, e morreu por nós, pecadores. Mesmo que fôssemos justos, poderia ser talvez que alguém viesse a morrer por nós;  não é vulgar que alguém morra por uma pessoa boa.  Mas Deus prova o seu amor para connosco em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores. E visto que pelo sangue de Cristo, Deus nos tornou rectos aos seus olhos, quanto mais não fará ele agora em nosso favor, salvando­-nos do julgamento divino que há-­de vir. E se, quando éramos inimigos de Deus, fomos trazidos em paz para junto dele pela morte de seu Filho, quanto mais, tendo sido reconciliados com Deus, seremos salvos de castigo eterno pela sua vida."
Romanos 5: 6-10

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Prof princess?! Saltita, saltita?!

Eu e a filhota, enquanto vamos a caminho da escola, temos um trajecto que em nada é monótono ou rotineiro.
Umas vezes, ela lê-me em voz alta um livro; outras conversamos e outras, cantamos juntas.
Temos várias canções que gostamos de cantar juntas e as últimas têm sido I see fire do Ed Sheeran, a Balada do Desajeitado dos D.A.M.A. e o Vayorken da Capicua.
Na Vayorken não estávamos em sintonia com a letra. Na parte em que a Capicua diz "Quando eu for grande vou ser "prof de windsurf", eu percebia windsurf, mas a filha percebia  "prof princess"!
Eu dizia que não fazia sentido e ela também achava que a minha não fazia sentido. 
Resolvi ir ver e constatei que é mesmo "prof de windsurf"!
Mas não me surpreende a filha ter entendido algo diferente.
Eu sempre fui especialista em trocar as letras das canções e se não percebia bem, com facilidade lhe arranjava outra para cantar.
Recordei-me então de uma canção que eu cantava na brincadeira, que era uma do Armando Gama e da Valentina Torres, que se chamava Cenas de um casamento.
E eu cantava assim:
"A gente já não fala, saltita, saltita!
É sempre a mesma coisa, saltita, saltita"

Eu achava estranho, um casal que já não se falava mais! Só saltitava, saltitava! Esquisito! Mas continuava a cantar daquele modo. 
E imaginava a cena deles a saltitarem, saltitarem! :D
Até que o meu irmão, que era um gozão de primeira, quando percebeu a maneira como eu a cantava, para além de me gozar e rir-se até chorar, me chamou a atenção de que não era "A gente já não falasaltita, saltita" e sim  "A gente já não fala, só grita, só grita! É sempre a mesma coisa, só fita, só fita".
Ah bom! Assim fazia sentido! Já não se falavam, só gritavam! E era tudo fita! Está certo!
Mas até hoje quando me recordo disso ou ouço a música, continuo a cantar "saltita, saltita" e choro de tanto rir, pelo ridículo da coisa.
Desta vez, com a filha, acertei eu! 
Afinal ser "prof princess" era mesmo muito esquisito! Ehehehehehehehe


quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Mais uma vez


Há dias em que parece que as minhas forças parecem querer terminar, que o desânimo quer apoderar-se de mim e prostrar-me.
Todos temos dias assim e eu não sou diferente.
É quando preciso, mais do que nunca, de ir buscar força em Deus, através da Sua palavra, ainda que surjam toda a espécie de resistências que parecem contribuir para que eu não o faça.
Mas sei que preciso de vencer essa resistência, seja ela de onde vier.

E nem a propósito (sei que não é por acaso), quando me aquieto para orar e meditar na Palavra de Deus, leio a história de uma nadadora, que em 1952 quis fazer a travessia das águas frias oceânicas entre Catalina Island e a costa da Califórnia.
Ela nadou durante 15 horas, sempre debaixo de uma neblina. Os seus músculos começaram a ficar doridos, com câimbras e a sua determinação começou a enfraquecer.
Ela pediu para ser retirada da água, mas a sua mãe, que estava num bote ao lado, pediu-lhe para ela não desistir.
Ela ainda nadou mais uns quantos metros, mas a exaustão tomou conta dela e acabou por subir para o barco.
Remaram então na direcção da costa, mas ao fim de uns poucos minutos, a névoa começou a dissipar-se e para espanto de todos, a costa estava já ali, a alguns metros de distância.
Em entrevista, ela só dizia: "Tudo o que eu conseguia ver era o nevoeiro. Se eu tivesse visto a costa, eu teria conseguido terminar!"

Uau! É isto mesmo! 
Há dias em que caminho sempre com uma neblina diante de mim. Não consigo ver adiante como gostava, mas Deus na Sua Palavra, diz que eu ando por fé e não por vista.
Sei que a cada dia há lutas para enfrentar, sejam de ordem pessoal, emocional, trabalho, família. Os gigantes são muitos!
Mas sei que a costa pode estar já ali na frente!
Então, há que perseverar e manter-me confiante.
Deus pede-me para que dê graças mais uma vez, para que seja generosa, mais uma vez, para ensinar e educar, mais uma vez, para perdoar mais uma vez, para incentivar alguém que precise ou não, mais uma vez. Ir mais uma vez, mais além! A não desistir, apesar de todo o mal, de toda a indiferença, de toda a frieza Em mim mesma e ao meu redor!
Peço-Lhe que me ajude, pois Ele melhor do que ninguém, sabe e conhece o que vai no meu coração, na minha alma. Por vezes, parece que tenho mais lutas do que forças para as enfrentar e quero desistir. Mas posso confiar que Deus irá ajudar-me a suportar mais um dia, a ser paciente mais uma vez, para O servir com amor, sem esperar nada em troca, mais uma vez. E confiar N'Ele, sempre e acima de tudo e todas as coisas.
Há que me manter na água, na luta, na corrida! 
Afinal, não estou sozinha! 


terça-feira, 18 de novembro de 2014

Segurança


Há uma riqueza de palavras e expressões contidas nos hinos cristãos, que me tocam profundamente.
Gosto muito de ouvir os grupos actuais, com novos cânticos de louvor a Deus, mas os hinos expressam-se como ninguém e continuam sempre actualizados.
Este é um dos meus preferidos: "Segurança" é o seu título,  e foi escrito por Phoebe Palmer Knapp (1839-1908)  e Fanny Jane Crosby (1820-1915).
O vídeo tem a letra na versão em inglês, e coloquei em português a letra como o cantamos!
Canta, minha alma! Canta ao Senhor! Com alegria! Com exuberância! Com amor extravagante! 


Vivo feliz pois sou de Jesus, 
E já desfruto o gozo da Luz; 
Sou por Jesus herdeiro de Deus, 
Ele me leva à glória dos céus. 


[coro] 
Canta minha alma canta ao Senhor, 
Rende-Lhe sempre ardente louvor; 
Canta minha alma, canta ao Senhor, 
Rende-Lhe sempre ardente louvor! 


Ao Seu amor eu me submeti, 
E extasiado então me senti; 
Anjos descendo, trazem dos céus, 
ecos da excelsa graça de Deus. 

Canta minha alma canta ao Senhor, 
Rende-Lhe sempre ardente louvor; 
Canta minha alma, canta ao Senhor, 
Rende-Lhe sempre ardente louvor! 


Sempre vivendo em seu grande amor, 
Me regozijo em meu Salvador; 
Esperançoso, vivo na Luz, 
pela bondade do meu Jesus. 

Canta minha alma canta ao Senhor, 
Rende-Lhe sempre ardente louvor; 
Canta minha alma, canta ao Senhor, 
Rende-Lhe sempre ardente louvor! 

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Espírito e alma

O anterior pastor da nossa congregação, meu querido amigo Teo Cavaco, gostava muito de contar uma história sobre um índio.
Esse índio tinha dois cães. E todas as semanas levava os cães até à cidade, para que lutassem entre si e as pessoas apostassem no cão que poderia vencer.
Todas as semanas os cães lutavam e o índio dizia sempre qual era o cão que venceria. E o cão que o índio apontava como vencedor, era o que efectivamente, ganhava.
Um dia perguntaram-lhe como é que ele sabia qual seria o cão que iria ganhar, ao que ele respondeu:
- É aquele que eu alimento mais durante a semana!

Hoje lembrei-me desta história, enquanto lia o capítulo 12 do evangelho de Lucas, quando Jesus conta a história de um homem que era agricultor e cuja produção era de tal modo bem sucedida, que ele construiu novos celeiros para armazenar tudo o que tinha. E depois disse à sua alma:
"Alma, tens em depósito muitos bens para muitos anos; então coma, beba e seja feliz." Deus ao ouvir os planos deste homem, ficou desiludido com a sua decisão de viver uma vida voltada apenas para o material e o agora, sem pensar na eternidade. Então Deus chama-o de louco e diz-lhe:
"Tolo! Vais morrer esta noite! E o teu celeiro grande e abarrotado? Para quem vai ficar? É isso o que acontece quando enches o teu celeiro de ti próprio, e não de Deus." Podem ler no evangelho de Lucas, capítulo 12 versículos 13-21.

Recordei-me do quanto esta passagem me tocou, quando a li anos atrás, antes de reconhecer Jesus como meu Salvador e Senhor.
Eu era assim como este homem. Com uma alma que se enchia de alegria com os bens que tinha, pensando no que poderia vir a ter, mas cujo espírito estava vazio e morto.
Todos nós temos um corpo, uma alma e um espírito.
O espírito é o princípio de vida que Deus nos conferiu e é esta parte de nós que está sensível às coisas eternas. A nossa alma, é onde habitam a nossa personalidade, os nossos sentimentos, emoções, desejos, afeições. O espírito foi feito para andar por fé; a alma caminha apenas com a capacidade do que vê.
E a pergunta que fiz foi: Qual é a parte de mim que é mais saudável e mais forte? A minha alma ou o meu espírito? A qual delas eu estou a alimentar mais?
Sei que se concentrar a minha vida em prazeres terrenos, em desejos e sentimentos emocionais e negativos, a minha alma crescerá fora de controle, ao ponto de tornar o meu espírito insensível às coisas eternas e ao que de bom Deus tem para mim.
Se por outro lado, o meu espírito receber mais e melhor alimento, isso será reflectido no estado da minha alma.
Tal como o índio sabia qual o cão que iria vencer, também posso decidir qual das minhas partes pode superar a outra. 
Está nas minhas mãos a escolha. 

Porque o que a nossa natureza humana quer é contra o que o Espírito quer, 
e o que o Espírito quer é contra o que a natureza humana quer. 
Os dois são inimigos, e por isso vocês não podem fazer o que vocês querem. 
Gálatas 5:17

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Pura alegria num funeral

Ontem fui a um culto de despedida de um pastor que partiu para o paraíso.
Poucas foram as vezes que estive com ele, mas em todas elas, o pastor João Rosa Oliveira causou em mim aquela boa impressão de me sentir em casa.
E todas as histórias e testemunhos que tenho lido e ouvido nestes dias, após a sua partida, só vieram confirmar isso: que foi uma pessoa que causou esse impacto em todas as pessoas que tiveram a alegria de o conhecer e conviver com ele.
É motivadora a vida de alguém assim!
Alguém que amava a Deus de modo tão extravagante, que foi visível na maneira como ele amou as pessoas. 
Alguém que não actuava como Jesus, mas sim, que era como Jesus. Faz muita diferença procurar agir como Jesus e ser como Jesus.
Era fácil ver Jesus nele.
E nem a sua já avançada idade e nem a sua doença foram impedimento para continuar a viver a vida sempre em função das pessoas e plena de alegria, estampada no seu sorriso. Nem a sua dor foi desperdiçada.
Pessoas assim são pessoas de valor.
Não de um valor segundo o padrão dos homens, mas segundo o padrão de Deus!
Nunca fui a um funeral onde se risse tanto, onde as lágrimas que deslizavam pelos rostos, eram um misto de saudade e de riso, por causa da alegria que o pastor João Rosa Oliveira deixou aqui em cada ser humano.
Que bom partir assim e deixar tão profunda marca na vida das pessoas!
Muitas vezes oro a Deus para que a minha passagem pela Terra possa ser marcada pelo amor, pela alegria, pela fé, pela dedicação às pessoas.
Percebi ontem o quanto estou ainda aquém de ser assim. 
Mas o exemplo de vida deste homem, fez-me ter ainda mais o desejo de prosseguir para esse alvo.
Até breve, amigo João Rosa. 
Louvo a Deus pela sua vida!



terça-feira, 11 de novembro de 2014

Chuva torrencial e óculos de sol

Se viram ontem por volta das 20:00 horas, alguém a conduzir um carro em plena chuva, com óculos de sol colocados e pensaram:  "Que pessoa doida!" ... essa pessoa era eu!
Verdade! 
Ontem testei algo que tinha lido e quis confirmar se era mesmo assim.
Segundo uma dica que li, quando chove intensamente, daquela chuva que temos que ligar os limpa pára-brisas ao máximo e mesmo assim, não conseguimos ver nada, então seria bom colocar óculos de sol e a visibilidade melhoraria substancialmente.
E ontem resolvi testar.
Chovia torrencialmente e não conseguia ver nada. As luzes dos faróis dos carros com a água, ficavam difusas e ainda piorava a coisa.
Então, peguei nos óculos de sol e ... Maravilha!!!
Era quase como se nem chovesse! 
As luzes dos carros ficaram fixas, tal e qual como se não estivesse a chover!
E lá fui eu, radiante, de vento em popa, para casa!
Escuro como breu, a chover e eu de óculos escuros!
Mas que resulta, resulta. Experimentem e vejam por sim mesmos!



sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Renovação da mente

Em nossa casa não se assiste a noticiários e cada vez menos, televisão nacional!
Não porque queremos estar alienados do que se passa no mundo, mas simplesmente porque a grande maioria das notícias e programas que passam nos nossos canais, são tudo, menos notícia ou informação, programas que mostram o que há de bom neste planeta, filmes que edificam, etc.
Em que contribui ser constantemente alvejada com notícias que só destroem a alma? Porquê esta necessidade de incutir o medo, o terror, a tragédia? Invadir a nossa mente logo cedo com coisas que só nos abatem, que contribuem para o aumento da agressividade das pessoas, da revolta, de trazer ao de cimo o pior que há no ser humano?
Sem falar dos shows que alimentam os voyeurs que adoram ver o que se passa na casa alheia  ... só para vomitar mesmo!
E as novelas então ... a história é sempre a mesma! Muda o nome, mas o enredo dá sempre na mesma coisa.Pouco ou nada se aproveita!
Coisas que nos algemam, que nos emburrecem, que nos manipulam ... Não, não preciso de nada disso e cada vez aprendo mais que tenho de cuidar da minha mente e daquilo que a preenche, pois só assim eu posso ser livre, e fazer escolhas por mim mesma.
Por isso escolho ler bons livros, assistir bons filmes, ouvir música e coisas que me ajudem a tornar melhor como ser humano.
E ler a Palavra de Deus, é o melhor caminho para isso: conheço-O a Ele, conheço-me a mim e encho o meu coração e mente das coisas do alto, de bons valores e da luz que me ilumina, que valerão para sempre.


Portanto, com a ajuda de Deus, quero que vocês façam o seguinte: entreguem a vossa vida cotidiana - dormir, comer, trabalhar, passear - a Deus como se fosse uma oferta. Receber o que Deus fez por vocês é o melhor que podem fazer por ele. Não se ajustem demais à  cultura deste mundo, a ponto de não poderem pensar mais. Em vez disso, concentrem a atenção em Deus. Vocês serão mudados de dentro para fora. Descubram o que ele quer de vocês e tratem de atendê-lo. Diferentemente da cultura dominante, que sempre os arrasta para baixo, ao nível da imaturidade, Deus extrai o melhor de vocês e desenvolve em vocês uma verdadeira maturidade.  
Romanos 12:1-2 versão "A Mensagem"




quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Porquê?

Na maioria das vezes, Deus não responde aos nossos "Porquês?".
Sei que Ele o poderia fazer, mas na verdade, nós não o perceberemos, até estarmos face a face com Ele e vermos as coisas como elas realmente são, conforme a perspectiva do Seu olhar.
Creio que um dia, os nossos porquês serão resolvidos e terão resposta.
Mas até lá e enquanto peregrinamos aqui na Terra, é tudo sobre "Quem" e o "Que".
Trata-se de para Quem nos voltamos e o Que fazemos!

"Hoje, não vemos as coisas com clareza. Estamos como que num nevoeiro, enxergando com dificuldade por entre a neblina. Mas isso não vai durar muito. O tempo vai melhorar e o Sol vai aparecer! Então veremos tudo tão claramente quanto Deus nos vê, conhecendo-o directamente, assim como ele nos conhece."
1 Coríntios 13:12

Saudade

Acordar com uma canção na cabeça.
Acontece-me tantas vezes. 
Hoje foi esta.
"Da linda pátria estou mui longe
Triste eu estou
Eu tenho de Jesus saudade
Quando será que vou
Passarinhos, belas flores
Fazem-me almejar
As maravilhas e esplendores
Do meu celeste lar
Cristo me deu fiel promessa
Vem me buscar
Meu coração está com pressa
Eu quero já voar
Meus pecados eram muitos
E culpado sou
Mas o seu sangue põe-me limpo
E para a pátria vou
Qual filho do seu lar saudoso
Eu quero ir
Qual passarinho para o ninho
Eu quero ao céu subir
É fiel, a vinda é certa
Quando não o sei
Mas ele me achará alerta
Com Ele ao céu irei
Com Ele ao céu irei"

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Ser grato

É fácil estar grato quando tudo corre bem.
Com o trabalho progredindo, a família nos trilhos e, apesar de nem sempre como deveria ser, a vida segue sem grandes sobressaltos.
Estar grato na fartura, progresso, alegrias, só os tolos não são.
Mas estar grato é diferente de ser grato. Gratidão tem a ver com um estado de espírito.
É ter a consciência que muitas vezes o bem tem cara de mal e o mal tem cara de bem e, por nem sempre poder discerni-los, sou grato. Então enxergo que tudo o que me acontece,  numa estação ou noutra, produz bons frutos; são frutos da gratidão.
Ser grato não é agradecer por ter tudo o que gostaria. É perceber que, tendo ou deixando de ter, experimento exactamente o que preciso.
Não confundas gratidão com comodismo. Um luta, trabalha, faz planos, tem metas, mas não se abate por elas. Sabe que está indo para algum lugar e caminha com gratidão, independentemente do que aconteça. Outro senta, dorme, lamenta, se auto vitima como se o mundo conspirasse contra, como se nada valesse, como se nada pudesse. Ingrato!
Muda a tua mente. Vê sob outra perspectiva e percebe que a ingratidão é fruto da unilateralidade de olhar.
Aceitar o desafio de expandir os teus horizontes, enxergar as possibilidades, juntar as peças espalhadas pelo tempo, abre-nos uma incrível janela com vista privilegiada para o alinhamento de cada situação, um dia chamadas de “boas”,  noutros de “más” , todas convergindo para o bem dos que, por gratidão, percebem.
É sempre uma questão de percepção.
A gratidão desentope-nos de nós mesmos, tira-nos do centro, desloca o eixo, ajuda-nos a perceber os movimentos, deslocamentos, provisões, desvios, conexões, altos e baixos necessários para a construção de homens e mulheres de verdade, de carácter, atentos para as dinâmicas naturais e essenciais da vida.
Onde há harmonia, existe gratidão.
Onde há gratidão, ainda que nem tudo esteja parecido com o que considero ser ideal, há paz de espírito, discernimento e o entendimento que o significado das coisas sempre se vincula ao que habita no meu coração.

Obra completa

Sou uma pessoa que nem sempre concluo algo que inicio.
Por vezes, fico animada com algo que começo, mas depois, por falta de interesse ou motivação ou tempo, a coisa fica a meio.
Isso é terrível!

Por isso que gosto de ler na Palavra, que Deus termina o que começa!
Tão bom saber que Deus não é como eu e que vai completar a obra que iniciou em mim.
Ele faz tudo no Seu próprio tempo. 
Por vezes, somos impacientes e queremos que Deus seja mais rápido a fazer algo na nossa vida e em nós.
Mas como diz em Eclesiastes 3:11: "Deus fez tudo formoso no seu tempo."
Então, sei que Ele irá concluir o que começou. Não tenho a menor dúvida. 


"Pois eu estou certo de que Deus, que começou esse bom trabalho na vida de vocês, 
vai continuá-lo até que ele esteja completo no Dia de Jesus Cristo." 
 Filipenses 1:6



quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Fui encontrada!

Quando se escuta uma música pela primeira vez e a letra te toca profundamente.
Foi assim, com esta canção "Mais" dos "Os Arrais".


 

Descubro quem eu sou, tua palavra me diz
Entendo quem eu fui, quem não mais quero seguir, não
Eu sou um pescador, tua palavra me diz
Te sigo aonde for, faço tudo em teu nome

Sou mais que um vencedor
Sendo que eu sempre fui o segundo em tudo que eu vivi
E me chama amigo
Não sou mais estranho, eu sou um filho, eu sou teu

Tu és o bom pastor, tua palavra me diz
Feliz em meio a dor, sua bondade me persegue
Sou mais que um vencedor
Sendo que eu sempre fui o segundo em tudo que eu vivi

E me chama amigo
Não sou mais estranho, eu sou um filho, eu sou teu
Eu fui encontrado
Sendo que eu sempre fui o esquecido em tudo que eu vivi

E me chama amigo
E eu, eu não sou mais estranho, eu sou um filho
Eu não sou sou mais estranho, eu sou um filho
Eu fui encontrado, eu sou um filho, eu sou teu
Eu sou teu

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Aprender a reconduzir

"O recém-convertido é semelhante a um homem que aprendeu a conduzir num país cujo trânsito orienta-se pelo lado esquerdo da estrada e repentinamente, encontra-se noutro país, forçado a conduzir pela direita.
Ele precisa desaprender o velho hábito e aprender o novo e, o que é mais sério, precisa de aprender isso no meio do trânsito pesado."
A.W.Tozer

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Quando a morte morreu

Hoje pela manhã, assisti a um culto fúnebre na nossa congregação.
É algo que me fez e faz sempre pensar e reflectir: a morte!
Foram exactamente as questões que eu levantava a Deus, sobre a finitude  da nossa vida, que me conduziram à fé que hoje tenho.
E apesar de estar num culto de despedida, foi confortante ouvir as mensagens e os cânticos que entoámos.
Ninguém quer morrer, ninguém desejaria passar pelo processo da morte.
Mesmo as pessoas que têm a fé e a esperança no porvir, desejariam desfrutar da vida eterna sem passar pela morte.
Ela é nossa inimiga! Ela não é parte do plano original de Deus para nós!
Mas estamos sujeitos a ela, por causa do pecado que contaminou toda a humanidade.
Ela é o salário do pecado, assim diz a Palavra de Deus.
Junto com o pecado, vieram a doença, o envelhecimento, as dores, o sofrimento, a morte!
Mas temos esperança, porque o que perdemos no jardim do Éden com a desobediência, foi comprado na cruz do Calvário.
Jesus morreu na cruz, para comprar de volta o que foi perdido!
E esta é a nossa esperança e fé!
A morte morreu quando Cristo ressuscitou!
Ela é o último inimigo a ser vencido!


"Ora, o último inimigo que há de ser aniquilado é a morte! Assim, quando este corpo mortal se vestir com o que é imortal, quando este corpo que morre se vestir com o que não pode morrer, então acontecerá o que as Escrituras Sagradas dizem: “A morte está destruída! A vitória é completa!” “Onde está, ó morte, a sua vitória? Onde está, ó morte, o seu poder de ferir?” O que dá à morte o poder de ferir é o pecado, e o que dá ao pecado o poder de ferir é a lei. Mas agradeçamos a Deus, que nos dá a vitória por meio do nosso Senhor Jesus Cristo!"
1 Coríntios 15 26,54-56

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails