Este blogue não adoPtou o novo acordo ortográfico.

quinta-feira, 31 de agosto de 2006

Lições caninas


Há três semanas que esta cachorrinha é a delícia da família.

Durante a semana de férias, tive a alegria de poder brincar com esta ternurinha.

Gosto muito de gatos: da sua personalidade independente, do ar misterioso e sedutor, de os ver dormir com ar sereno, de escutar o ronronar, de receber "marradinhas"... gosto sim! Mas sei que os gatos, por natureza, são interesseiros e que são poucos dados a fazer algo que não seja por eles mesmo.

Com tão pouco tempo ainda na família, a cadela já é um autêntico exemplo vivo do que significa amor incondicional.

Independentemente do nosso estado de humor ou da nossa aparência, ela sempre tem um carinho pra nos fazer, um "pézinho" pra mordiscar; é apertada pelas crianças e suporta tudo isso ainda lambendo as faces delas.

Quando é castigada porque fez o seu xixi fora do sitio, ela não fica amuada por muito tempo - basta um sorriso que fica logo saltitante.

Recebe cada um de nós e acolhe-nos com uma alegria que contagia.

Enfim, são pequenas coisas, pequenos exemplos de um animal, que me faz pensar que tenho muito que aprender com esta criatura sobre o que é amar incondicionalmente.

Os gatinhos que me perdoem...

9 comentários:

nokinhas disse...

Certamente os gatinhos vão perdoar... Sei o que isso é porque tenho cá em casa uma ternura como essa (dálmata) que, tudo o que pede é a ração e algumas festinhas. Aqui que ninguém nos ouve, está cheia de mimo...

Ana Rute Cavaco disse...

um gato tb pode ser assim, consoante a educação...
(a nossa gata Nuvem é)

Lou disse...

Bem vinda ao clube.

Xuinha Foguetão disse...

Eu prefiro cães...
(tenho gd alergia aos felinos)

Essa é muito gira.

Beijocas

Dulce disse...

Estou com a Ana Rute Cavaco. Descobri o amor pelos gatos e o amor dos gatos há pouco tempo (1 ano e pouco). As minhas duas gatas, a Julie e a Nuvem (mais uma Nuvem), conquanto independentes, são extremamente afectivas.

maria disse...

Quando era jovem, tinha preferência pelos cães. Até que há 3 anos atrás fui FAT (Família de Acolhimento Temporário) de um gatinho, que acabei por adoptar.

Também tinha ideia de que os gatos eram independentes, mas agora...ando apaixonada por eles. O meu dorme comigo na cama, está sempre a brincar, segue-me para todo lado e protesta quando está sozinho em casa. Nunca pensei que fosse ficar tão agarrado a mim.

Curiosamente, antes tive um coelho. Pensei que não ía interagir muito, mas enganei-me. Não só decidiu que havia de dormir comigo (ele é que subia para cima da cama todas as noites e entrava dentro dos lençóis) como me lambia a cara e o cabelo, entre outras coisas Lol. Respondia ao nome, enfim...tanto com um como com outro, a minha mãe, que não simpatiza muito com animais (é mais plantas) anda(va) derretida :-)

Pdivulg disse...

Por isso é que em minha casa há 4 gatos e 2 cães... hehe... Bem já para não falar do peixe e do canário...

Vilma disse...

Resposta oas defensores do sgatinhos: Pessoal, eu AMO gatos! Quem me conhece sabe o quanto! Já passaram pelo meu caminho mais de 15 gatos... e sei que podem ser afectuosos também! Mas incondicionalmente.. nah! Há excepçºoes à regra assim como nos cães. Mas na generalidade, é a natureza de cada um deles! :D

Marlene Maravilha disse...

Sim, é a natureza de cada um e com grandes diferenças.
Eu só prefiro cães. Tenho dois waimaraners por precaução, porque moro em uma casa no Brasil e eles impõem um pouco de respeito. Mas em vão vigia o sentinela se Deus não estiver guardando!
Não tenho afinidades com os felinos.
abraços

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...