Este blogue não adoPtou o novo acordo ortográfico.

segunda-feira, 21 de março de 2011

Dia da Poesia

O amor, quando se revela,
Não se sabe revelar.
Sabe bem olhar p'ra ela,
Mas não lhe sabe falar.

Quem quer dizer o que sente
Não sabe o que há de dizer.
Fala: parece que mente
Cala: parece esquecer

Ah, mas se ela adivinhasse,
Se pudesse ouvir o olhar,
E se um olhar lhe bastasse
Pr'a saber que a estão a amar!

Mas quem sente muito, cala;
Quem quer dizer quanto sente
Fica sem alma nem fala,
Fica só, inteiramente!

Mas se isto puder contar-lhe
O que não lhe ouso contar,
Já não terei que falar-lhe
Porque lhe estou a falar...

Fernando Pessoa

2 comentários:

Emoções disse...

Para o poeta, sinônimos não existem. Cada palavra soa, cheira, degusta e diz diferente.

Debbie disse...

Fernando Pessoa é o cara!!
Viva para ele!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...