Este blogue não adoPtou o novo acordo ortográfico.

quinta-feira, 19 de julho de 2007

Recordações boas


Esta semana, pela primeira vez, a filhota ficou com os avós na nossa barraca de praia e campo (literalmente, uma barraca).
Separar-me dela tem sido muito custoso.
A falta que sinto das suas traquinices, do riso que enche a casa, do barulho e das refilices!
Entrar em casa e ver o quarto dela vazio, faz-me criar um nó na garganta.
No entanto, fui eu mesma que preparei tudo e dei a maior força para ela ficar.
Com certeza que é muito mais divertido ter liberdade, ao ar livre, para brincar e dar asas à sua imaginação, do que ficar fechada entre as paredes da creche.
As melhores recordações que tenho da minha infância, são dos dias que passei com os meus avós ou tios.
Nunca mais me esqueço da aventura que era para mim contornar o quarteirão onde a minha avó tinha o seu café; e da máquina de gelados que a minha avó enchia para os netos; ou de quando ela me deixava beber café com castanhas cozidas (coisa proibida pela mãe).
Também me enche o coração lembrar-me dos dias que passei com a minha tia, que me levava ao cinema, a passear de metro (sim, para mim era uma aventura - estarei assim tão cota??), comer deliciosos gelados ao Apolo 70 ...
Recordações deliciosas!
E por tudo isso, que eu fiz força para a minha filha ficar.
Ela passará por outras experiências.
Mas uma das coisas boas que os avós ou familiares próximos nos deixam, são as recordações de momentos assim. Especiais!
O tempo passa, mas elas ficam sempre dentro de nós.
E não custa nada proporcionar isso também aos nosso filhos, mesmo que a saudade aperte, aperte e aperte.
Afinal, é tão simples fazer uma criança feliz!
O reencontro saberá muito melhor! :D
Não desejo cortar as asas à minha filha, mas sim, deixá-la voar.
Deus me dê sabedoria para isso.

11 comentários:

Anna^ disse...

Essa sabedoria já tu a tens :)))

beijinho

Xuinha Foguetão disse...

Acho que fizeste muito bem.

:)

Estás no caminho certo.

E ela vai recordar sempre momentos assim.

Beijocas Vivi

alealb disse...

amém!!!
também tenho meu pequenino com a avó estes dias...
beijos,
alê

Alberto Fernandes disse...

Isso mesmo. Fazes muito bem!

Beijinhos do FC Porto

Vilma disse...

Alberto: puááá´!
Não quero beijos desses!
:D
Blargh

Fa menor disse...

O convivio intergeracional é muito benéfico tanto para as crianças como para os mais velhos. As melhores recordações da infância podem ser aquelas que se guardam dos avós, por isso fizeste o melhor!

Bjitos

Fa-

Van Dog disse...

Adorei.

Hadassah disse...

Não me esqueço o que um pediatra me disse uma vez: que devíamos apostar nas férias dos nossos filhos, e proporcionar-lhes programas diferentes, compensadores da rotina, porque a nossa memória não guarda a rotina mas o que é excepcional. Desse modo estamos a construir para eles uma memória rica de boas recordações.

Decidiste sabiamente, Wilma, mas eu sei o que custa,,,

bjs

Lou Mello disse...

O fato é que eles tem seus próprios pensamentos e deverão ter sua própria vida, para horror dos pais. Claro que sou um pai pós-moderno e sinto paz, alegria e prazer na liberdade dos meus filhos ):. Sei que você também sentirá o mesmo. D: D:

Alecrim disse...

Eu tb quero ir para a barraca de praia!! Buá!!! :)

PDivulg disse...

Não é fácil...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...