Este blogue não adoPtou o novo acordo ortográfico.

sábado, 24 de março de 2007

O Deus de paradoxos

Tu és um Deus de infinita majestade e contudo, um Deus de total misericórdia.
Consegues ocultar-te da nossa presença e contudo, estás todo o tempo connosco.
És o criador tanto da energia desenfreada como da gentil beleza.
Nunca mudas e contudo, és o autor da mudança por toda a parte.
Nem és velho nem novo (és eterno) e contudo, tornas todas as coisas novas.
Tu és infinitamente activo e contudo, a fonte da verdade última.
Amas totalmente, mas sem obsessão; possuis-nos completamente, mas sem ansiedade ou dominação.
Não nos deves nada, mas pagas por todas as dívidas dos nossos pecados.

Agostinho em "Meditações sobre o Salmo 35:10"

Pergunto: Como é possível recusar o amor de Deus?
Como é possível não O amar?
Como é possível não crer Nele?

4 comentários:

Ego ipse disse...

Realmente como é possivel?
E... no entanto tantas vezes nos esquecemos ou ignoramos a sua misericordia, presença e amor.
Como é possivel que mesmo assim quando nos arrependemos temos tal como o filho pródigo um Pai de braços abertos e um banquete à nossa espera...
Há um velho corinho: "É impossivel eu não crer em Ti... É impossivel não fazer de Ti meu ideal"

Margarida Atheling disse...

Não sei como é possível. Mas sei que há pessoas que vivem assim... e tenho muita pena delas, porque tudo é tão mais fácil quando O deixamos entrar na nossa vida e acompanhar-nos! Tão mais fácil!

Bjs!

Pdivulg disse...

Gostei desta expressão "és o criador da energia desenfreada..."
Boa Semana!

alealb disse...

suas indagações são também as minhas...
beijos,
alê

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...